segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Jesus Cristo, brilhe em nossas noites...



“Jesus Christ, shine into our night           “ Jesus Cristo, brilhe em nossas noites
Drive our dark away                                Guie-nos para longe da escuridão,
Till Your glory fills our eyes”                    Até que sua Glória preencha nossos olhos”

Na experiência existencial de qualquer, verdadeiro, discípulo de Cristo a um momento que digamos seja ele inesquecível: o silencio de Deus ante a nossa aflição. Sobre isso gente boa de Deus eu queria compartilhar com você. Me apego ao famoso texto de São Lucas, os discípulos no caminho de Emaús. Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles; mas os olhos deles foram impedidos de reconhecê-lo. Lucas 24:15-16 NVI
Estes dois homens que caminham para Emaús, estão voltando para casa depois de uma aventura do discipulado (ensinamento, ministração) de Jesus.  Esses homens não discerniam a presença de Jesus com eles, mas Ele,de fato, estava caminhando junto aos discípulos.
Quero destacar esse momento na crise de fé: o absoluto silêncio de Deus. É como se olhássemos em volta e não víssemos nenhuma evidência de Deus ou do cuidado de Deus. Como se os nossos olhos fossem impedidos de ver a presença de Deus. São João da Cruz chama isso de “A noite escura da alma”, quando agente clama aos céus e tem a sensação de estar falando sozinho, quando agente busca a Deus e Deus não nos responde, quando não há nenhum movimento dentro de nós em relação a Deus, é a sensação absurda de uma profunda solidão. Talvez seja isso que os filósofos chamem de angústia.
Gente boa, nós devemos perceber, ou enxergar, esses momentos como necessários para a nossa renovação de fé e celebrarmos a Deus em nossas angústias, agradecermos a Ele em dor, como Paulo e Silas na prisão, isso mesmo, se não passarmos por esse caminho ficaremos sempre confiando em homens, instituições, CNPJ consagrados ou em quaisquer evidências maquiadas de “projetos de Deus”.  Tenho aprendido que quando Deus quer se revelar aos discípulos Dele de maneira mais profunda, Ele os leva ao pó! Ele nos deixa atravessar isso que os místicos chamam de “a noite escura da alma”, caminho esse de cruz (sentença), humilhação, despojamento, renúncia, abandono, abnegação. Quando agente chega ao fundo e ora: Deus eu não estou enxergando mais nada! Não estou entendendo nada, não confiou mais no que meus olhos vêem. O que eu faço é me trancar no meu quarto, como Jesus me ensinou, e a portas fechadas ficar em silêncio diante de ti, crendo que Tu me vês em secreto, que teus olhos me contemplam no meu silêncio e Tu me darás a recompensa no momento certo. Crendo que do silêncio e do vazio Deus pronunciará uma nova voz e mostrará um novo rosto.
Tem muita gente que está lendo este texto e está atravessando um deserto horrível, gente carregando uma espada na cabeça, uma doença séria em si ou na família.  Alguns vivem em rotinas de sobrevivência difíceis, pesadas, que outros jamais conseguiriam suportar com tanto bom humor. Alguns estão em casas boas e confortáveis, outros em casas pequenas, abafadas.  Tem gente que sai deste blog e encontra abraços fraternos, vai pro aconchego, vai e encontra beijos, carinhos, tem relacionamentos amorosos. Outros voltam para um quarto vazio, uma situação de solidão, de solitude, de ouvirem seus próprios pensamentos de maneira gritada de tão silenciosa que é à noite, outros que vão para conflitos existenciais de amargura. Deixemos, pois, as amarguras de lado e agradeçamos a Deus por esse silêncio, por essa ausência e que eles sejam frutíferos, fecundos para que possam sair dos clichês e viver um verdadeiro relacionamento com Deus. Eu sei que isso é difícil, mas abra a tua a boca pra Deus e agradeça a Ele pela a graça o agir invisível Dele, você verá os frutos da sua solidão diante de Deus. Minha gente há sempre esperança, O Espírito Santo é real, O amor de Deus limpa e cura. Mas o homem será curando enquanto ele discernir que precisa ter fé em Deus para enfrentar momentos ruins, e cantar a Deus, não o louvor dos panacas, mas o louvor daqueles que sofrem diante de Deus, e não tem medo de chorar cada choro dos resgatados pelo o amor de Deus. Paz na alma, queridos...

Que a sabedoria de Deus nos abençoe até que as estrelas caiam dos céus. Nele, que faz o ilhado viver em família.

3 comentários:

  1. Nossa a fonte ficou tão pequena...

    ResponderExcluir
  2. amém Mateus...Deus continue te capacitando dessa forma...Cecília

    ResponderExcluir
  3. Amém Ceci registro aqui meu amor e carinho por você, um grande beijo!

    ResponderExcluir