Ai que saudade das cebolas do Egito...


“Nós nos lembramos dos peixes que comíamos de graça no Egito, e também dos pepinos, das melancias, dos alhos porós, das cebolas e dos alhos.”  Números 11:5

Gente boa de Deus eis aqui um texto que expressa o assunto que eu quero falar. A mania do ser humano de olhar para trás e entrar em quadros psicológicos de queixas, saudades, lembranças de algo que na época não era bom mais hoje é lembrado como bom. O exemplo é: as cebolas do Egito, o povo hebreu foi escravizado na terra de faraó e clamava ao Senhor por salvação e justiça, nem se lembravam das cebolas, depois de anos o Senhor os atende e os tira do Egito por meio de um verdadeiro milagre. Na sua peregrinação no deserto Israel comiam o maná que caia dos céus e às vezes codornizes, na caminhada eles desenvolveram um verdadeiro fetiche por cebolas do Egito: Saudade da servidão, da opressão, da escravidão, do Nilo, do Faraó, da angústia, dos exatores, de tudo.

Esse “surto”, desejos por cebolas, é na verdade um fenômeno psicológico comum entre os homens. Eu ou quem sabe você tem ou já teve saudades dessas cebolas, e isso é na verdade uma doença. Mas o que é sentir saudade das cebolas Egípcias? O Egito é o passado as cebolas são as desculpas ou as transferências que se faz, quando o futuro se faz presente contra as nossas expectativas, ou vontade. Imagine: Uma sucuri que lhe matava e hoje você a abraça e a chama de “meu Amor”.  Isso nada mais é que falta de senso de realidade, pois as cebolas no Egito são qualquer coisa que no passado foi horrível e hoje, por doença,  torna-se pra nós o que nunca foi nem será: bom.

Disse o Senhor Jesus: A que posso comparar esta geração? São como crianças que ficam sentadas nas praças e gritam umas às outras: Nós lhes tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não se entristeceram. Mateus 11:17

Quando andamos em contentamento em Deus podemos, então, viver sem esquecimentos forçados, sem auto-engano, sem transferências de angustias passadas em alegrias presentes. Visto que o contentamento em Deus nos mantém na realidade. O Contentamento é filho da confiança no cuidado do Pai por nós. É por isso que Deus diz: o meu justo viverá por fé, pois quem não anda por fé, quando o deserto se alonga e a estrada demora, irá olhar pro Urubu e chamar de meu louro. Você é um desses? Ficas assim distinguido quem confia e quem não confia em Deus.

Minha oração de fato é para que eu possa confiar no cuidado de Deus, como fruto, nasça em mim o contentamento de olhar e viver em fé com Deus.

Nele, que é abrigo nas tempestades e descanso em segurança para nossas almas.

Por favor, compartilhe!

  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

7 comentários :

Scroll to top